domingo, 6 de janeiro de 2013

EM MARÍLIA, DESCENDENTES DE ALEMÃES CRIAM MINI-HORTAS EM VASOS ONDE CULTIVAM FLORES E LEGUMES ORGÂNICOS.

Por Célia Ribeiro

A casa da Rua Jericó, protegida por muros indevassáveis e cerca elétrica, reserva uma surpresa a quem atravessa o portão branco pela primeira vez. A agradável sinfonia da água batendo nas pedras da pequena cascata, que se debruça sobre o lago repleto de carpas japonesas, dá um aperitivo do que virá em seguida: uma profusão de flores e plantas dispostas em vasos e floreiras ilumina o concreto do sobrado construído em 1.990, na cidade de Marília.


Maria Emília mostra as carpas japonesas
No lugar, ocasal de descendentes alemães, Ada e Ebraim Malaquias Junior, conseguiu trazer a natureza para o convívio familiar, resgatando lembranças da infância passada em Minas Gerais. “Na casa dos meus tios e dos meus pais, em Minas, é tudo desse jeito, com muitas plantas”, explicou o representante comercial ao lado da esposa professora.
 
Um dos muitos vasos da residência

 A inspiração da família desencadeou a vontade de transformar a residência em um pulmão verde no meio da cidade. Cada espaço tem aproveitamento máximo. Na garagem, as floreiras que hoje exibem uma vistosa plantação de pepinos, anteriormente, produziram safras de tomate orgânico da melhor qualidade, para alegria da vizinhança.


 “Quando viajamos para Londrina, levamos caixas de tomate verde para a família. Mas, ao voltarmos, os tomates estavam maduros e distribuímos entre os vizinhos, dois a três quilos para cada um”, contou a sorridente esposa que já brinda osmoradores do entorno com pepinos colhidos na hora.

Tomateiro se deu bem na garagem
 
Flores colorem a residência
Atuando em uma empresa do setor agrícola, Ebraim é formado em marketing e jamais se esqueceu das lições do curso de técnico agrícola frequentado na juventude. Com conhecimento de causa e muito amor à natureza, ele contagiou a mulher, as trêsfilhas e até a netinha Maria Emília: na hora de plantar, a família toda participa num divertido mutirão.

ORIGINALIDADE

Para quem chegou a ter 1.200 vasos de orquídea em casa, os cuidados com vasos e floreiras cultivados com hortaliças, legumes e flores, parece tarefa fácil. Mas, dá mão-de-obra. O segredo, segundo o casal, é dedicação. “Não existe mão boa. Isso é lorota. Existe é dedicação”, sentenciou Ebraim que ainda tem outro passatempo: a construção de casinhas de abelha utilizando madeiras que encontrana rua.

Vista da área de lazer da casa
Começou a colheita dos pepinos orgânico
Na casa da Rua Jericó, uma dessas casinhas --- chega a produzir 1.000 ml de mel de Jataípor ano --- está estrategicamente posicionada próxima ao lago da entrada.Talentoso e detalhista, Ebraim presenteia amigos e parentes com as casinhas de abelha e até perdeu as contas de quantas já construiu: “Para meu sogro e cunhado foram umas 15. Para o pai do meu genro umas cinco casinhas”, revelou,orgulhoso.

 “Aqui emcasa nós somos apaixonados pelo verde. Eu morei muito tempo em sítio. Mas, esse cuidado todo que ele tem é dele e foi passado para nós”, comentou a esposa referindo-se a Ebraim. Ela disse que as viagens que costumam fazer, no Brasil e no exterior, as atenções estão sempre voltadas para as plantas. E foi num desses impulsos que trouxeram da Europa sementes de tomatinhos amarelos e marrons.


Detalhe dos tomates que encantaram a vizinhança
Além dos legumes, as flores chamam a atenção no lugar: petúnia, amor-perfeito, beijinho,cravo, gerânio, onze horas, orquídeas, entre outras. Em vasos dentro e fora de casa e nas floreiras da área de lazer, o colorido atrai pássaros e alegra o ambiente. Usando somente adubo orgânico, o segredo é o cuidado permanente para que a natureza faça sua parte.

“A dica é simples. Não precisa ficar colocando terra pesada. Na calha da entrada (na garagem) tem 80% de pedrisco, um pouco de terra e adubo (esterco). O resto é água”, explicou Ebraim que construiu um original sistema de gotejamento para irrigar as plantas mesmo quando o casal está fora.
Ebraim e Ada com uma das casinhas de abelha
Segundo ele, quem se interessar pelo cultivo em vasos e floreiras, deve ter alguns cuidados:fazer a rotação de culturas, ou seja, alternar os tipos de legumes e flores,aplicar fertilizantes facilmente encontrados em lojas de materiais agrícolas e estar atento ao desenvolvimento das plantas. “Às vezes, não dá certo a muda que plantou. Repita, faça de novo. Se não deu certo a petúnia, eu tiro e planto beijinho, amor-perfeito, por exemplo”, finalizou.

Osinteressados em trocarem informações com Ebraim podem entrar em contato pelo e-mail: ebraimmj@ymail.com

* Reportagem publicada na edição de 06.01.2013 do Correio Mariliense 






Nenhum comentário:

Postar um comentário