domingo, 22 de maio de 2011

COM APENAS R$ 22 MIL, CONTABILISTA REALIZA O SONHO DE TER UMA CASA ECOLÓGICA NA ZONA SUL DE MARÍLIA.

Por Célia Ribeiro

Enquanto alguns garotos empinam pipa no céu azul da manhã gelada de sábado, um homem com a imaginação de um menino encantava-se com o colorido de sua obra prima. Localizada num ponto estratégico da zona sul de Marília, na Rua Men de Sá, a construção de 50 metros quadrados chega à fase de acabamento provando ao seu idealizador que sonhar não precisa custar caro.

Deck de madeira reaproveitada na entrada da construção
O brilho no olhar de Aureo Luiz Conversani já diz tudo: o contabilista, que dedicou anos à pesquisa de soluções ecologicamente corretas para sua moradia, finalmente está perto de concretizar um sonho. Com a experiência de quem construiu quatro casas pelo sistema convencional, ele lamenta a desconfiança que este tipo de construção inovadora provoca nas pessoas.

Curioso, Aureo Conversani mergulhou fundo na pesquisa de alternativas sustentáveis para a obra. Leu muito, navegou pela internet, viajou para conhecer projetos e contatou outras pessoas que, como ele, acreditam que chegou o momento de pensar a preservação ambiental também sob a ótica da construção civil.

Com investimento de aproximadamente 22 mil reais, o contabilista colocou a mão na massa, literalmente. “O difícil foi convencer os pedreiros a usarem os tijolos ecológicos e o sistema de encaixe”, disse, contando que ele próprio trabalhou em grande parte da construção. Ao seu lado, um dos ajudantes apenas sorria quando provocado, admitindo que o resultado final realmente surpreende.

FABRICAÇÃO


Os tijolos facilitam a colocação de tubos

“A maioria dos construtores vê esse tijolo com ceticismo”, observa o contabilista explicando que o tijolo ecológico é feito com barro e um pouco de cimento, sem queima e, obviamente, sem agressão ao meio ambiente. Segundo o site de uma das empresas que atuam na área, a  Verdesaine o tijolo recebeu o nome de ecológico porque ao invés de ser feito no fogo, como os tijolos convencionais, ele é curado na água não consumindo lenha e nem gerando fumaça.

O tijolo ecológico modular foi regulamentado e aprovado pela ABTN (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e segundo os fabricantes, permite um encaixe perfeito, facilitando o cálculo de unidades a serem empregadas em cada parede e em toda a obra, sem haver necessidade de corte do tijolo porque existe o meio tijolo.

Aureo Verdesaine comentou que já existem vários conjuntos habitacionais sendo construídos com esse material que, além de baratear a obra, são mais fáceis de usar e economizam no tempo final da construção. Ele viajou a várias cidades para conhecer os projetos quando voltou ainda mais animado pela opção que fizera.

Janela com madeira cetificada
Os 50 metros quadrados da casa em que ele vai residir comportam um dormitório, um banheiro, e uma sala anexa à cozinha. Pensando em economizar energia foi projetada uma claraboia por onde a luz natural penetra deixando os ambientes bem iluminados. Além disso, as janelas são de madeira certificada vinda de um fornecedor de Santa Catarina que trabalha com materiais alternativos. Antes de parecem defeitos, as tonalidades diferentes das madeiras dão um charme todo especial.

O contabilista procurou aproveitar o máximo de materiais na obra. O deck de madeira da entrada da casa foi feito a partir de sobras e quando a construção estiver totalmente pronta, um jardim com pedras naturais vai dar as boas-vindas aos visitantes.

A preocupação ambiental também está presente no aproveitamento da água da chuva. Aureo Conversani projetou um sistema simples para captar a água e conserva-la para uso doméstico. E não parou aí: disse que vai construir um aquecedor alternativo para garantir a temperatura da água do banho.

Sr. Aureo mostra detalhes dos tijolos que se encaixam
Em algumas semanas, a casa arejada e ecologicamente correta do contabilista estará pronta. Para trás ele vai deixar os desafios e dificuldades do início da obra, além, é claro, o ceticismo dos pedreiros que mostraram resistência em trabalharem numa construção com materiais inovadores. “Para mim, tudo já valeu muito a pena”, finalizou.

* Reportagem publicada na edição de 22.05.2011 do "Correio Mariliense"

15 comentários:

  1. sou de marilia e estou a procura desse bloco a algum tempo para construir minha casa, gostaria de saber qual local mais proximo para adquiri-lo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Eduardo! Em maio, fiz nova reportagem sobre construções sustentáveis. Acesse: http://mariliasustentavel.blogspot.com.br/2012/05/arquiteta-e-agronomo-recuperam-area.html para ler a matéria ou procure no mês de maio, pelo índice. A arquiteta Angela Torres poderá lhe informar sobre esses tijolos. O e-mail dela é: angelct@ig.com.br. Um abraço!

      Excluir
    2. em Oriente possui uma fábrica de tijolos ecológicos, visitei pessoalmente. Eles anunciam esses tijolos no mercado livre, mas lá a cidade aparece como Assis Brasil.

      Excluir
    3. Olá, Paulo! obrigada por comentar. Apareça sempre. Abraços

      Excluir
  2. Muito legal o relato, meio como eu me senti ao me deparar com essa realidade que não é nova, mas ainda sofre muito preconceito.

    Quero pedir licença para divulgar meu blog que conta em detalhes a realidade de uma obra usando tijolo solo-cimento, vulgo tijolo ecológico. Quem sabe assim a gente desmistifica o método construtivo e o torna mais acessível e barato.

    Quem tiver interesse em ver mais detalhes, visite solocimento.blogspot.com.

    Obrigado pelo espaço.

    ResponderExcluir
  3. Muito legal,quero fazer uma casa dessas p mim!!Grande abraço!!

    ResponderExcluir
  4. Muito legal.Eu chamo essas casas de casas alternativas...um dia quero construir uma p mim grande abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcio! Bacana essa idéia, né? Apareça sempre por aqui. Abraços

      Excluir
  5. Bom dia, estou a procura de um mestre de obras que construa com tijolos ecológicos. Estou em Assis, mas muitos nem conhecem esse tipo de material. Quem conhecer quem possa construir em Assis, gostaria de fazer um orçamento, poderiam entrar em contato, obrigado - Marcos - karinha.legal@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde, por gentileza poderia confirmar se tem algum construtor que faça casa em Assis utilizando esse tijolo, obrigado -Marcos

    ResponderExcluir
  7. Marcos sou de Marília e tive o desprazer de construir uma casa com este tijolo, desista não vale a pena, tudo que colocam por ai na internet é só engodo. Também fique fascinada pelo tal tijolo, li muito, pesquisei e achei que estava fazendo um bom negócio, mas foi só prejuízo, tem um ano que a casa ficou pronta, s.q.n., pois tenho que reca-la pois o tijolo é permeável, mesmo tendo sido impermeabilizado, as paredes ficaram tortas, pois não há em Marília quem trabalhe bem com este tipo de construção e nem que saiba realizar projetos com este tipo de material. Quanto à fabrica que fica em Oriente, os caras são uns enrolados, não cumpre prazo, pegam o $ adiantado e dão balão até para entregar, perdi uma grana com eles, e o tijolo não segue uma norma padrão, então há diferença no tamanho. Talvez em Assis vc dê mais sorte que eu, mas mesmo assim não aconselho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Pena que vc não se identificou. Gostaria de fazer uma reportagem sobre seu caso que não deu certo. É importante mostrar todos os lados, abraço

      Excluir
  8. Respostas
    1. Boa tarde, Luiz Henrique!
      Vc pode contatar a arquiteta Angela no email: angelct@ig.com.br Neste blog há várias matérias com ela. Procure por "Angela" no mecanismo de busca no alto à direita.

      Excluir