sexta-feira, 3 de novembro de 2017

HORTAS VERTICAIS, JABUTICABEIRA EM VASOS: A NATUREZA PEDE PASSAGEM ONDE FALTA ESPAÇO.

Por Célia Ribeiro

Poucas lembranças da infância são tão marcantes quanto as incursões aos pomares, comuns há três ou quatro décadas, em grande parte das residências do interior. O esforço para subir na jabuticabeira, equilibrando-se nos galhos que cediam, provocando tombos de todo tipo, era recompensado pelo prazer de sentir o espocar da frutinha doce, de casca fina e escura, na boca.
Jabuticabeira em vaso, temperos nas bacias: verde é vida!
Em tempos modernos, escalar a jabuticabeira exige muito mais esforço para as crianças crescidas. Mas, nem tudo está perdido: graças à evolução da genética, é possível saborear as frutinhas o ano inteiro. Espécies híbridas podem ser cultivadas em vasos exigindo apenas muita água e sol. No quintal, nas casas de proporções cada vez menores e até nas varandas dos apartamentos, as jabuticabeiras reinam como nunca.
Frutas o ano todo

O relato é da arquiteta e paisagista Aglays Damaceno, reconhecida pela qualidade dos projetos de hortas (verticais, em vasos e até em bacias) e pomares com frutíferas que crescem pouco e já chegam às casas produzindo frutos. Em 2.012, este blog fez um perfil da profissional, conhecida como a “Menina do Dedo Verde”, em alusão ao clássico francês de Maurice Druon.

Nestes cinco anos, além do aprimoramento profissional, Aglays mantém-se focada em recuperar tudo que for possível, como as orquídeas que, vez ou outra, clientes descartam e ela recolhe ao “Pronto-Socorro” das plantas em que, pacientemente, zela para que possam florescer novamente.

Aliás, em sua confortável residência, a paisagista aproveita para fazer experimentos. Nos últimos dias, por exemplo, ela está testando o orégano como forração em um vaso no jardim de inverno. “Até agora está pegando sol forte e está aguentando. Vou esperar um pouco mais para ver como fica para indicar como opção aos meus clientes”, explicou.

Segundo ela, a procura por jardins em residências novas ou após reforma sempre teve boa demanda. No entanto, há alguns anos, além de flores e plantas, os clientes têm procurado projetos para mini hortas. Com pouco espaço, as opções são inúmeras: bacias com temperos (salsinha, cebolinha, tomilho, manjericão, alecrim e hortelã), passando pela instalação de vasos nas paredes até o plantio de frutíferas que crescem pouco e produzem muito.
Aglays no jardim de inverno de sua casa: local de experimentos
“Noto que as pessoas estão investindo mais na qualidade do que consomem. Cozinhar é motivo para reunir a família e os amigos. Por isso, todo mundo quer ter os temperos ao alcance das mãos, seja na cozinha gourmet ou na área da churrasqueira”, comentou Aglays. Conforme disse, a falta de espaço não é um impedimento.
Entre as flores, as orquídeas são as mais solicitadas
Ela explicou que ao ser procurada, marca uma visita ao local e conversa com os clientes para saber suas expectativas. A partir daí, elabora o projeto e, após a aprovação e eventuais ajustes, passa à fase da execução supervisionando cada detalhe que é compartilhado, via fotos no WhatsApp, com os interessados.
Maçã no quintal

De acordo com a paisagista, a manutenção das hortas domésticas é bem simples: “Não exige muita coisa, além de água. Precisa estar em um local onde bata sol de uma a duas horas por dia. Conforme vai colhendo os temperos, eles vão brotando. E se morrerem, após um tempo, é só replantar”.

Sobre as frutíferas, Aglays mostrou toda orgulhosa a primeira maçã do seu mini pomar em vaso. “A muda veio cheia de flores. A maçã nasceu e começou a crescer. Mas, estou com dó de comer”, disse rindo. Agora, a expectativa está no pé de limão siciliano adquirido recentemente.

Sobre as jabuticabeiras, ela explica que é uma preferência nacional: “A maioria quer. Já coloquei vasos perto de piscina, mas também em varandas de apartamento. Com baixo investimento dá para ter essa lembrança da infância em casa”. No mercado, a partir de 100 reais, já é possível encontrar plantas produzindo.

Os cuidados são: instalar um dreno de dois centímetros de diâmetro no fundo do vaso (50 por 50 cm), adicionar uma camada de cinco centímetros de argila expandida ou pedra britada, sem tampar o orifício, cobrir com um pedaço de manta acrílica seguida de camada de areia grossa. Depois, basta colocar a terra preparada (à venda em lojas especializadas) e plantar a muda. Aglays também costuma cobrir a terra com cascas de árvores para manter a umidade.
Falta de espaço não é desculpa: sempre é possível ter uma mini horta
Ao longo dos anos, a paisagista coleciona histórias tocantes, como a da horta que fez para uma família na região. Quem queria muito era o marido, que faleceu. A viúva, em sua homenagem, pediu que Aglays fizesse a melhor horta que conseguisse no quintal da residência. Missão cumprida. “Certamente, quando essa senhora for cuidar dos legumes e verduras terá muitas lembranças”, finalizou.

Para ler a reportagem de 2012 com a paisagista, clique aqui. Para contata-la o e-mail é: aglays@gmail.com Rede Social: https://www.facebook.com/aglays.damaceno 

2 comentários:

  1. Muito bacana este serviço de consultoria residencial paisagística. Começar o dia cuidando dos vasos, colhendo flores e regando as plantas é algo muito bom. Em casa estou colhendo pitangas nesta época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ivan! Seja sempre bem-vindo aqui. Eu adorei as dicas da Aglays. Tenho vasos de temperos, mas estou pensando em adquirir uma jabuticabeira para minha varanda! Abraços

      Excluir