segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

PROGRAMA CONECTA 3ª IDADE À REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES

Por Célia Ribeiro

Vinte e cinco passos separam a linha imaginária do conhecimento de dezenas de homens e mulheres que quebraram a barreira do preconceito e se aventuraram por um mundo de possibilidades infinitas: a internet. Na última sexta-feira, dia 13, como um presente antecipado de Natal, um grupo de 38 formandos dos cursos de “Informática para Terceira Idade” receberam seus certificados no auditório da Biblioteca Municipal de Marília.
 
"Terceira Idade On"  revela o mundo da internet aos idosos
Contendo dois módulos (básico e avançado), os cursos têm duração de seis meses cada um e acontecem no Telecentro, criado pela Prefeitura de Marília em parceria com o Banco do Brasil, em 2010, e no posto do programa “Acessa São Paulo”, mantido através de convênio com o Governo do Estado, informou o responsável Pedro Matos Teixeira.


Pedro explica o passo-a-passo aos alunos
De jeans e camiseta, o jovem instrutor desenvolveu um método original para prender a atenção dos alunos contribuindo para desmistificar a relação dos idosos com os computadores. Apesar dos equipamentos antigos, o projeto faz maravilhas com duas aulas semanais: no curso básico os alunos aprendem do zero, desde ligar os equipamentos, digitar no teclado e o manuseio do mouse, por exemplo, até criar pastas e salvar arquivos.

Encerradas as aulas do curso básico, os alunos mudam de sala e passam a ter uma aula por semana, com duração de duas horas, no Posto do “Acessa São Paulo”, também na biblioteca. “No curso ‘Terceira Idade On’ fazemos um apanhado do que é mais utilizado na internet, como sites de buscas, redes sociais (Facebook), segurança na internet com precaução para os vírus, uso de e-mail, um pouco de Youtube para que possam baixar e assistir vídeos na internet, além de manuseio de dispositivos móveis como descarregar fotos de celular e câmeras digitais etc”, explicou Pedro Matos.
 
Programa vitorioso mesmo com equipamentos obsoletos.
São 25 passos da entrada da biblioteca até esta sala de aula.
Entusiasmado, ele destaca o envolvimento da equipe formada pelos instrutores André Sanches Cibantos Junior e Mônica Camiatto: “Eles chegam sem nada, entram no básico e saem do avançado já fazendo tudo. O importante é que isso muda a vida da pessoa quando ela conhece a internet”, assinalou.

O instrutor citou o caso de uma aluna que revende produtos Natura e que começou a aplicar os conhecimentos profissionalmente: “Antes, ela tinha que ir à casa da supervisora para enviar os pedidos. Hoje, não. Ela fez um cadastro no site da Natura e faz tudo sozinha, compra, emite boleto de cobrança para pagamento etc”, contou.

ENTUSIASMO JUVENIL

A maioria dos formandos deste ano tinha mais de 60 anos. Mas, enquanto aguardavam o início da solenidade, na sexta-feira, pareciam adolescentes tamanha a ansiedade. No rosto de cada um o sorriso largo com a alegria estampada diante de mais um desafio vencido: “Gostei muito de aprender a usar a internet. Tenho Facebook e encontrei um monte de amigos para conversar e passar o tempo”, contou o aposentado Joaquim Bento dos Anjos, 68 anos. Ao seu lado, Lioko Kussumoto de Alcântara, 64 anos, explicou que “sabia um pouquinho, mas aprendi bastante aqui”, disse, acrescentando que também tem perfil nas redes sociais.
 
Creuza, Maria, Joaquim e Lioko: felizes pela formatura
Aos 65 anos, a aposentada Maria Cardoso da Silva afirmou que a “internet é importante porque é uma forma de a gente ter mais conhecimento e passar o tempo. Para quem não sabia nada como eu, foi ótimo. Agora quero continuar estudando para saber mais”. Mãe de sete filhos, ela revelou que adquiriu um computador pessoal assim que começou a frequentar as aulas e que a cada dia fica mais encantada com esse novo mundo que se descortinou.
 
(Esq.) André e Pedro Matos à frente dos formandos
(Foto: Helder C. Soares)

Por sua vez, a professora aposentada Creuza Borges de Oliveira, de 60 anos, comentou às gargalhadas que “era analfabetinha em internet” e que se matriculou para adquirir novos conhecimentos. “Não estou pós-graduada, mas melhorei muito”, disse, ressaltando o ambiente agradável das aulas: “O convívio social é fundamental. Aqui temos harmonia e estudar de novo é muito bom”, finalizou.

FILA DE ESPERA

No dia 13 a internet para a terceira idade chegou a 200 formandos (8ª turma do básico e 5ª turma do avançado). No entanto, a fila de espera é grande, com 250 pessoas na lista aguardando a oportunidade de mergulharem no fascinante mundo da internet. “Quando começamos, tínhamos 20 vagas e com pouca divulgação apareceram mais de 100 pessoas. Diante da grande procura pensamos em abrir uma sala só para isso que foi o Telecentro. A Anadir Hila, secretária municipal de Governo na época, fez a conexão entre a Prefeitura e o Banco do Brasil que doou os computadores enquanto o município cedeu local e funcionários”, recordou Pedro Matos.
 
Os alunos recebem acompanhamento individual
Os interessados em ingressarem nos cursos, independentemente da idade, podem procurar a Biblioteca Municipal à Avenida Sampaio Vidal, 245 ou telefonarem para (14) 34547434 para André ou Pedro.

                                           

2 comentários:

  1. Parabéns Célia pela ótima matéria, não sei como conseguecom tantos afazeres consegue com maestria e competência dedicar tanto carinho e profissionalismo às mais belas matérias do jornalismo mariliense.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, querido, obrigada! Vcs que estão de parabéns pelo belíssimo trabalho que desenvolvem. Grande abraço

      Excluir