domingo, 2 de junho de 2013

RESTAURANTE INFANTIL BUSCA APOIO A PROJETO QUE GARANTIRÁ GERAÇÃO DE RENDA PERMANENTE.

Por Célia Ribeiro

Criança feliz é criança bem alimentada. Não há como proporcionar o desenvolvimento físico e intelectual dos pequenos sem oferecer a eles uma boa nutrição desde os primeiros meses de vida. Foi pensando nisso que o libanês e mariliense de coração, Carim Haber El Haber, fundou o Restaurante Infantil, em 1.960. Passados 53 anos deste trabalho social de valor inestimável, a instituição poderá alcançar a sustentabilidade econômica quando tirar do papel o projeto do novo prédio, anexo à entidade, onde serão desenvolvidas atividades de geração de renda.

Educação e alimentação de qualidade, dos 02 aos 05 anos.
Localizada no bairro Palmital, o Restaurante Infantil de Marília é uma das poucas instituições certificadas como de Utilidade Pública Municipal, Estadual e Federal. A gestão transparente, sob a responsabilidade de 14 diretores voluntários, e o apoio de empresas e instituições permitem à entidade acolher mais de 90 crianças de 02 a 05 anos de idade, oferecendo educação básica, alimentação e recreação em período integral, das 7h30 às 17h.

“Nossa diretoria trabalha pra valer”, afirmou o presidente José Agostinho Pinto Roim, contador por profissão. A renda para manutenção das atividades vem de dois grandes eventos anuais --- o jantar do mês de março e o “Marília Fashion Day” realizado em outubro --- e de outras promoções de clubes de serviço com percentual da renda revertido ao Restaurante Infantil. Por isso, a participação dos voluntários é essencial.

(Esq.) Daércio e Agostinho na cozinha reformada recentemente


Através de convênio com a Prefeitura, 08 professoras e uma auxiliar de serviços gerais prestam serviços à instituição. Mas, o Restaurante Infantil assume o pagamento de outros 05 funcionários, além das despesas com contas de água, energia elétrica, telefone, impostos, uniforme infantil e o complemento de alimentação fornecida às crianças. São três refeições diárias com cardápio elaborado por nutricionista. Nas férias, as famílias levam cestas básicas para casa.

NOVO PRÉDIO

Em 2.010, a entidade conseguiu adquirir um terreno de 500 metros quadrados vizinho ao prédio atual, com ajuda de 30 mil reais repassados pela Prefeitura após a Câmara Municipal devolver recursos de seu orçamento. Como tudo o que envolve o Restaurante Infantil, a solidariedade também chegou na forma do projeto doado pelo arquiteto Maurício Rezende que fez um detalhado estudo para o máximo aproveitamento da área.

Falta uma sala de repouso para o soninho dos pequenos

Orçada em aproximadamente 500 mil reais, a construção solucionará um grave problema de falta de espaço para o descanso das crianças. Hoje, na hora do soninho, colchonetes são dispostos em sala de aula por falta de outro local. O projeto prevê, além da sala de repouso, mais uma sala de aula, ampliação dos vestiários, centro administrativo, e o brechó permanente que funcionará com doações da comunidade para geração de renda o ano inteiro.

A leitura é estimulada na biblioteca da entidade
Diante das despesas crescentes, a diretoria se preocupa com a sustentabilidade econômica da instituição. Dessa forma, além do brechó permanente em estudo, a locação da quadra esportiva coberta poderá ser viabilizada quando for instalada a iluminação no local: “A Prefeitura tinha assumido esse compromisso com a gente, no ano passado. Chegaram a fazer orçamento, mas não aconteceu”, explicou o presidente do Conselho Fiscal, Daércio Galati Vieira. Ele acredita que 15 mil reais seriam suficientes.

Hora de brincar: entidade bem cuidada

O Restaurante Infantil de Marília é uma entidade modelo que assiste crianças em situação de vulnerabilidade social. Pela excelência do trabalho desenvolvido tem conseguido algumas importantes vitórias. Por exemplo, muitos recursos de penas alternativas são direcionados à instituição. Foi o caso da reforma do playground, que custou 10 mil reais. Uma multa ambiental aplicada a uma empresa chegou em boa hora.

NECESSIDADES

Destacando que não há políticos na diretoria, o presidente José Agostinho Pinto Roim falou sobre o entusiasmo que move os voluntários. São médicos, dentistas, funcionários públicos, corretor de imóveis, engenheiros, advogados, comerciantes, bancários, aposentados que doam seu tempo e energia a uma causa nobre seguindo os preceitos do fundador Carim Haber El Haber.

Sala de informática equipada com recursos de emenda do
então deputado Vinicius Camarinha

Por outro lado, reconhecendo a importância do auxílio da Prefeitura, ele observou que a colaboração poderia ser ampliada com coisas simples, mas essenciais: um filtro com sistema de refrigeração de água e a disponibilização de um vigia são os mais urgentes. “Fazemos um trabalho que é da Prefeitura. Sem a entidade, onde colocariam essas 90 crianças em período integral?”, frisou Daércio Galati.

Conforme disse, “todas as EMEIs e EMEFs têm vigias e filtros. Como nossa atividade é educacional e não temos qualquer subvenção, a Prefeitura poderia nos ajudar cedendo um vigia para segurança do prédio à noite e nos finais de semana. Já o filtro com refrigeração é muito importante, principalmente nos dias muito quentes”.

Playground reformado graças a 10 mil reais de pena alternativa

Finalizando, os diretores agradeceram a colaboração da comunidade, de pessoas comuns e de empresas e instituições que ajudam esse projeto social. Eles citaram a Univem e a Unimed, o Tauste, os Rotary Clubes e a Maçonaria, entre outros, concluindo que agora o desafio será tirar o projeto do papel e conseguir apoio para a obra que significará mais conforto para as crianças e mais renda para o Restaurante Infantil manter suas nobres atividades.

Para colaborar e conhecer mais sobre a entidade localizada à Rua Machado de Assis, 760, acesse: www.restauranteinfantil.org.br O e-mail é: restauranteinfantil@gmail.com e telefone: (14) 34333719.

 * Reportagem publicada na edição de 02.06.2013 do Correio Mariliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário