domingo, 16 de dezembro de 2012

OBESIDADE INFANTIL: CAOIM RESGATA BRINCADEIRAS ANTIGAS APROVEITANDO MATERIAIS RECICLÁVEIS.


Por Célia Ribeiro

A árdua batalha contra a obesidade infantil, doença que acomete 30% das crianças em idade escolar, segundo o Ministério da Saúde, recebeu uma ajuda inusitada: o Caoim (Centro de Atendimento à Obesidade Infantil de Marília) está utilizando materiais recicláveis em divertidas brincadeiras que promovem o gasto calórico de crianças e adolescentes atendidos pela unidade da Secretaria Municipal da Saúde.
"Escravo de Jó" é uma das brincadeiras escolhidas
Garrafas PET com areia substituem os pesinhos de ferro, cabos de vassoura ajudam nos alongamentos, câmaras de ar de bicicleta auxiliam nos exercícios que demandam mais esforços e até pedaços de canos de PVC viram bambolês, para alegria da meninada. Com esses materiais a equipe de educadores físicos do Caoim, formada por Sérgio Augusto Silva, Rodrigo Pereira e Katarina Bernardo, coloca a imaginação para funcionar na hora de criar os exercícios.

“Nossas crianças não sabem brincar. Hoje, a criança só tem o conhecimento da diversão oferecida pela tecnologia”, observou a coordenadora do Caoim, Dra. Luciana Pfeifer. Ela frisou que “a tecnologia não pode se sobrepor à humanidade” comentando que as crianças passam muito tempo diante da televisão, do computador, jogando videogames ou utilizando tablets e telefones celulares.
Exercício com câmara de ar de bicicleta

Através da equipe multidisciplinar composta por médica, cirurgiã-dentista, enfermeira, nutricionistas, psicólogas, fisioterapeutas e educadores físicos, o Caoim tem registrado expressivos avanços no combate à obesidade infanto-juvenil. Em 2012, dados parciais mostram o atendimento a mais de 300 crianças e adolescentes que realizam o tratamento junto com um acompanhante (pais ou responsáveis).

FUNDO DO BAÚ

A preocupação em oferecer alternativas de baixo custo para que as crianças e adolescentes pudessem realizar atividades físicas em casa, contribuindo para acelerar o metabolismo, vem de algum tempo. A educadora física Dayane Patrícia de Alencar Oliveira, ex-integrante da equipe, deu início à implantação dos recicláveis nas brincadeiras ao apresentar o vai-e-vem feito de cordinha de varal e garrafas PET.

Segundo a coordenadora do Caoim, “a gente busca resgatar brincadeiras comuns às outras gerações, dos pais, mães e avós, brincadeiras saudáveis que podem ser replicadas em casa sem custo algum”. Ela acrescentou que “aliado a isso, o Caoim também tem a preocupação com a sustentabilidade”, incentivando o reaproveitamento de materiais recicláveis.
Garrafas PET com areia substituem os pesinhos
 Por sua vez, o educador físico Sérgio Silva explicou que “a ideia surgiu também da vontade de poder ajudar as mães que estão em casa e, às vezes, não têm condições de ter um aparelho de ginástica ou ir a uma academia”. Conforme disse, com orientação adequada de um profissional, é possível aproveitar muitos materiais para o condicionamento físico. E, na base da brincadeira, pais e filhos podem ser exercitar juntos com segurança.

A educadora física Katarina Bernardo falou sobre as brincadeiras de antigamente: “A gente resgata brincadeiras que as crianças não conheciam como ‘Escravo de Jó’, ‘Detetive Ladrão e Vítima’, peteca e até brincamos de pular corda que algumas crianças não conseguiam por falta de coordenação”. São atividades de grande gasto calórico bem-vindas no processo de perda processual de peso.
Dra. Luciana Pfeifer

Ela comentou que “os pais simplesmente adoram até porque são brincadeiras que eles conhecem da infância e que na correria do dia-a-dia eles não têm tempo de brincar com os filhos”.

Para a coordenadora do Caoim, “a prevenção da obesidade inicia-se em atitudes muito simples. Mas, a patologia obesidade não é nada simples. A prevenção é muito mais fácil e muito mais tranqüila de fazer. A obesidade, enquanto patologia é muito difícil de ser tratada, principalmente pelo contexto em que as crianças vivem hoje. É muito melhor investir esforços na prevenção do que no tratamento”, pontuou.

PLANOS PARA 2013

Bilboquê de latinhas de massa de tomate, jogo de buricas (bolinha de gude), peões e outras brincadeiras serão incorporados às atividades esportivas de 2.013. “Hoje a obesidade está presente na infância porque nossa criança não sabe brincar. Ela vem de uma geração muito tecnológica. A criança tem que viver como criança”, finalizou Luciana Pfeifer.
Sérgio e Katarina acompanham atividade com cabos de vassoura
 O Caoim é uma unidade da Secretaria Municipal de Saúde criada em 2.006. No ano seguinte, através de convênio com a Maternidade e Gota de Leite, implantou o Centro de Estudos e Pesquisas com recursos doados pela Fundação Nestlé Brasil, num total de 300 mil reais. Os atendimentos são gratuitos e as crianças e adolescentes (07 a 17 anos) com sobrepeso e obesidade são encaminhados pelas Unidades de Saúde do Município. Também é possível fazer a inscrição diretamente na unidade (Rua 9 de Julho, 395). Informações no telefone: (14) 34546618 ou e-mail: caoimarilia@hotmail.com

* Reportagem publicada na edição de 16.12.2012 do Correio Mariliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário