domingo, 18 de novembro de 2012

COM RECICLÁVEIS, CHAPLIN CRIOU DECORAÇÃO ORIGINAL E EDUCATIVA PARA FESTAS DE FIM DE ANO.

Por Célia Ribeiro

As mãos habilidosas de duas irmãs, acostumadas a encantarem seus familiares com criações inusitadas, passaram os últimos quatro meses trabalhando duro para que outras famílias possam mergulhar no clima natalino de uma maneira diferente: refletindo sobre a importância da preservação ambiental. O resultado da empreitada pode ser visto no Chaplin Restaurante e Pizzaria que inovou ao utilizar garrafas PET, garrafas de vidro, potes de conserva, rolhas de vinho, rolos de papel higiênico, entre outros materiais recicláveis, na decoração de fim de ano.
Garrafas de vidro na árvore de natal
inspirada em Barcelona
Eneida Felipe de Melo e Cleide de Melo Diniz são as responsáveis pela concepção e montagem da decoração que surpreende pela criatividade. De Barcelona, Cleide trouxe a ideia da árvore de Natal de vidro, que tem na ponteira o frasco de um Prosecco trazido de Portugal. Esposa do proprietário do Chaplin, Paulo Diniz, ela conta que ao ver a peça na Espanha logo pensou em criar algo parecido para o restaurante da família que ansiava por uma opção sustentável para os enfeites natalinos.

Vidros de palmito receberam
pintura  e Papais Noel
Devido ao amplo espaço dos ambientes foi preciso dosar, com critério, a elaboração das peças. Em primeiro lugar, as artistas trataram de resgatar materiais utilizados em anos anteriores de modo a reaproveitarem o que fosse possível, dando uma nova roupagem a estruturas antigas. Um exemplo é a imensa vela do balcão do restaurante, pinçada de 2.007, que foi reformada e ocupa posição de destaque perto da “cama” de folhas secas de palmeiras recolhidas da EMEI “Monteiro Lobato”, do outro lado da rua.

“Gosto de andar pela cidade e de pesquisar na internet”, revelou Cleide Diniz, explicando que pensando nos resíduos que o restaurante gera---e que são enviados para reciclagem---ela e a irmã selecionaram alguns materiais que poderiam ser aproveitados, sem custo. Assim, dezenas de rolhas de vinho formaram enfeites de parede, garrafas PET deram vida a adornos no interior do bar, os potes de vidro de palmito foram pintados para acomodar os bonecos de “Papai Noel”, cones de papelão foram revestidos de tecidos e fitas etc.

Detalhe das flores feitas com rolo de papelão de embalagens de papel higiênico
 Uma das surpresas ficou por conta dos rolos de papelão do interior das embalagens de papel higiênico. Com 70 rolos foi possível fazer margaridas de papelão com direito a folhas de sobras do material. Elas enfeitam uma parede inteira no fundo do restaurante e chamam a atenção ao lado dos CDs riscados e inutilizados que ganharam pintura e colagem de guardanapos com motivos natalinos. Um primor!

Cleide Diniz e a "cama" de folhas secas
No teto, galhos de jabuticabeira pintados com tinta spray receberam luzes e se tornaram lustres acolhedores. E até sobras da lembrancinha do aniversário de 15 anos da filha Paula Diniz, hoje com 28 anos e chef da conceituada cozinha do Chaplin, foram aproveitados numa árvore original: na entrada lateral, perto do caixa, pingentes do cantil com o nome da aniversariante de 13 anos atrás mostram que tudo pode ser reaproveitado com elegância.

COISA DE FAMÍLIA

Os últimos 20 dias foram intensos para Eneida e Cleide. Os trabalhos, iniciados há quatro meses, foram intensificados e concluídos na última quinta-feira. Mas, elas estão acostumadas a essa correria: nas festas de família a dupla está sempre junta nas criações. Cleide diz, modestamente, que “a artista é a Eneida. Tudo o que faço é influenciado por ela. Eu monto as coisas e ela dá o acabamento”. Eneida, por sua vez, sempre gostou de desafios e junto com a irmã tem se dedicado a criar coisas novas para o restaurante desde que Paulo Diniz assumiu o negócio.

Rolhas de vinho usadas com criatividade
 “Quando a gente era pequena, a gente era arteira até”, recorda Cleide arrancando uma sonora gargalhada da Eneida que comentou sobre as brincadeiras em cima das árvores e das corridas com carrinho de rolimã. Sempre unidas, as duas que têm mais uma irmã e um irmão, disseram que o artesanato sempre lhes chamou a atenção e que a parceria, iniciada na infância, foi se fortalecendo com o passar dos anos.

SUSTENTABILIDADE

Para o proprietário do Chaplin, Paulo Diniz, a opção por usar a temática da sustentabilidade na decoração está alinhada às práticas ambientalmente corretas do estabelecimento. Semanalmente, são enviados para reciclagem: papel, papelão, vidro, óleo, garrafas PET, latas etc, além de o restaurante manter torneiras com sensor automático para economia de água, entre outras iniciativas.

(Esq.) Eneida, Paulo e Cleide Diniz
“O Chaplin já tem uma tradição. A gente recicla tudo o que é possível. Então, não poderíamos fazer um Natal diferente daquilo que já é uma postura do Chaplin e vai ser sempre assim”, garantiu o empresário. Ex-diretor do Banco Santander, onde se aposentou após uma brilhante carreira, Paulo Diniz concluiu: “Eu tenho uma formação de sustentabilidade muito forte, em razão da empresa financeira que eu trabalhava que investe muito nisso e continua investindo, e tenho essa consciência da sustentabilidade para tocar pra frente”.

Miniaturas de cantil com
colônia, de 13 anos atrás,
decora a árvore
A decoração de fim de ano e a iluminação foram apresentadas aos clientes na noite da última quinta-feira. Para saber mais sobre o Chaplin, acesse: www.chaplinmarilia.com.br

Cones de papelão viraram velas
*Reportagem publicada na edição de 18.11.2012 do Correio Mariliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário